In news

Foi lançada pela Sanlam, empresa sul-africana de seguros, a série dramática “Uk´shona Kwelanga” que retrata o quotidiano sul-africano, em momentos de luto.

A novela foi lançada em junho último e tem como plataforma o WhatsApp, uma das redes sociais mais utilizadas do mundo.

Esta trama apresenta-se em sete episódios diários, através de mensagens de texto (SMS), fotos, notas de voz e vídeos curtos e traz à tona, os dilemas vividos pelas famílias africanas após a morte do chefe de família, revelando como a morte pode aproximar ou separar os membros da família, durante os preparativos funerários.

Em colaboração com a agência publicitária King James, a série dramática foi escrita por Bongi Ndaba, uma das mais requisitadas guionistas sul-africanas. “A televisão não é o único meio de aceder a conteúdos de entretenimento, nos dias que correm. Portanto, porque não tentar comunicar através do WhatsApp?”, questiona Ndaba, roteirista da novela.

A marca Sanlam é conhecida por investir em comunicação simples e de fácil percepção para o seu público-alvo. A empresa Sanlam optou por esta aplicação devido a sua flexibilidade de difundir mensagens e obter interacção com os seus clientes.

Os anúncios da estreia foram feitos nos principais meios de comunicação, nomeadamente a televisão, media digitais e principais outdoors da África do Sul.

Para acompanhar os episódios, basta enviar uma mensagem de texto com nome e contacto móvel para 45603, solicitando a inscrição. A seguir receberá um link através do qual pode acompanhar a série através do telemóvel. Mas em “Uk’shona Kwelanga”, os utilizadores da plataforma não são apenas espectadores passivos, eles podem ir interagindo e comentando as situações vividas pela família “ficcionada” na série.

A forma que série dramática assumiu foi, porém, de tal modo inovadora, que promete abrir um precedente, não apenas enquanto estratégia de marketing, mas sobretudo pelo facto de ter mostrado como o WhatsApp pode constituir um espaço para muitos outros formatos criativos (e interactivos), não necessariamente ligados a objectivos comerciais.

Recent Posts
0