In news

ogilvy_-_estudo_f4f97_thumb_medium148_62Este foi o ponto de partida do estudo sobre Brand Advocacy, promovido pela Social@Ogilvy. E concluiu que há poucas marcas verdadeiramente apaixonantes, sendo que, para gerar recomendações apaixonantes, as marcas têm de conhecer e focar-se na verdadeira inspiração (e não na satisfação) dos seus fãs.

O estudo foca a importância do nível de recomendações dos embaixadores de marcas na amplificação de uma campanha de marketing e procura desvendar quais os principais motores para a recomendação. Para isso foram analisadas sete milhões de menções a marcas nas redes sociais em quatro países (Brasil, China, Reino Unido e Estados Unidos) referentes a 23 marcas.

Permitiu confirmar que, atualmente, até cerca de 80 por cento do alcance das campanhas de marketing deriva da ampliação de que são alvo nas redes sociais através da recomendação. Isto significa que as marcas que não conseguem gerar um nível de recomendação suficiente terão de pagar mais por um resultado menos eficiente do que aquelas que utilizam as recomendações dos embaixadores de marca como prioridade.

Entre as conclusões encontra-se também a de que, quando a preocupação é o nível de recomendação, a importância das características supera as da emoção.

No que respeita às marcas verdadeiramente apaixonantes, apenas duas das analisadas obtiveram mais de 50 por cento de menções enquadradas na categoria mais entusiasta de recomendação (amor, excitação, ter de ter/comprar).

 

Fonte: briefing

Recent Posts
0