Acusada de racismo, Gucci suspende venda de camisola e pede desculpa

 In news

A marca italiana de luxo Gucci, viu-se recentemente envolvida numa polémica depois de ser acusada de racismo. Em causa está uma camisola de gola alta preta que tem uma abertura para a boca, com lábios vermelhos.

De acordo com os vários internautas, a camisola fazia referência à “blackface”, uma antiga prática teatral em que os actores caucasianos se pintavam de negro e exageravam os lábios para representar de forma negativa os afro-americanos.

Depois da polémica, a marca italiana fez um pedido de desculpa público e retirou a peça de roupa em questão do mercado.

“A Gucci pede desculpas pela ofensa causada por esta camisola. Confirmamos que o produto foi imediatamente retirado de todas as nossas lojas e do nosso site online”, escreveu na sua conta do Twitter a marca pertencente ao grupo francês Kering.

Em dezembro passado, outra marca italiana, a Prada, retirou de uma das suas lojas em Nova Iorque, bonequinhos negros com grandes lábios vermelhos.

Recentemente a Dolce e Gabbana também foi acusada de racismo na China, após a divulgação de vídeos que mostravam uma mulher com traços asiáticos, a tentar, de forma desajeitada, comer pizza ou esparguete com os tradicionais hashi, sendo orientada por uma voz masculina que fazia comentários irónicos sobre os “palitinhos servirem de talheres”.

Recommended Posts
Messi, Salah, Pepsi, Marcas,News, Branding, Superbrands